terça-feira, 13 de dezembro de 2011

CG!

Ao contrario da frequência dos posts sobre a CG, o projeto tá caminhando.

Entramos finalmente na fase de montagem da moto. Não é a definitiva mas é quase. O chassis (aka quadro) já foi alinhado, jateado e pintado de preto. A balança traseira também foi alinhada e teve suas buchas e eixo trocados.

Alá o quadro pendurado de ponta-cabeça com cara de novo:


A bagunça na oficina, claro, segue a mesma. Mas eu acho mais confortável parar para pensar onde deixei algum utensílio ou ferramenta do que manter tudo arrumado. Aproveito pra descansar...

O quadro foi pintado ontem. Ele e mais dois scooters e algumas peças de outra moto que esqueci de cobrir. A poeira da tinta PU é bem fininha e aderente. Mas tudo que não devia ser pintado de preto já foi polido e está como antes da besteira feita.

Tínhamos comprado uma frente inteira nova pra CG. Roda, cubo, freio a disco, manete do freio, bengalas, canelas, mesa superior e mesa inferior. Só teve um problema: o canote do quadro da CG 1981 é diferente do da CG doadora das peças novas. Então tive que reutilizar as mesas superiora e inferiora da CG 1981 mesmo. Ainda bem que não as tinha jogado fora...

Elas, claro, estavam em péssimas condições. O que leva um ser humano a pintar peças de ferro fundido e alumínio com tinta emborrachada? Não existe coisa mais chata de fazer do que remover esse tipo de tinta.

Tô fazendo isso, ainda:


Pior que isso foi descobrir que a pista do rolamento inferior da caixa de direção tava colado. 

COLADO! 

Saiu à base de dentada:


E precisava sair porque tinha marcas de maus tratos:


Aproveitando, cortei o suporte da trava da direção. Tudo que é inútil é cortado. Sempre.

Menos é mais.


Pensado assim tiramos também o cavalete do quadro e todos os suportes e olhais que consideramos inúteis para a nova configuração da motocicletinha. Acho que cortamos bem uns 3 kg de aço...

Fazia uns 4 ou 5 dias que não via os suportes do motor e o varão do espelho do freio traseiro. Depois de achá-los fiquei feliz de ver que estão preparados pra pintura, já. É bom, de vez em quando, não ter boa memória. Algumas surpresas são agradáveis. Alá eles:


Ainda tem várias pequenas etapas a serem cumpridas até que eu possa andar com a pequena e charmosa cafe racer. Mas já dá pra começar a pensar no lugar onde vou fazer o ensaio fotográfico (a modelo eu já escolhi - não tem pessoa mais adequada do que ela) e o lugar onde a Hondinha vai andar pela primeira vez.