sábado, 31 de dezembro de 2011

CG!

Mais um dia inteiro dedicado aos motores OHV. Mas... sem foto que tô com preguiça de tirar e depois postar. Amanhã faço isso. Ou então só no ano que vem (demorô...).

Mas desmontei completamente o motor mockup pra lavar e avaliar o que sobrou de bom nele. Depois montei tudo. Como nunca tinha fuçado em motor de CG, aprendi a montá-lo. É relativamente simples.

A grata surpresa foi encontrar um comando de válvulas aftermarket WGK instalado no mockup. Esse motor deve ter passado maus bocados com o último dono. Ninguém tem boas intenções com motores quando instala comandos com maior permanência.

Ah, sim. Terminei o porting no cabeçote mockup. Faltava fazer o duto de escape. Como não tinha idéia do que fazer, me baseei no diâmetro do escapamento que vamos usar na moto (medidas, dimensões e demais informações sigilosas serão divulgadas a seu tempo, caso o motor fique bom). Mais uma vez tentei deixar o duto o mais direto possível da área da sede da válvula até a junção com o coletor de escape.

Como já disse, isso não me parece ser rocket science.

Dessa vez usei ferramentas diferentes pra fazer o porting do duto de escapamento. Experimentar, aprender. Esse é o objetivo. Essas que usei hoje são mega hiper afiadas e demorei bem menos do que pra fazer a admissão.

Um truque que aprendi com o Tino (ótimo preparador de cabeçotes mas não muito famoso) foi sobre a textura deixar nos dutos. Na admissão, garantiu-me o Tino, deve-se usar uma lixa grossa pra fazer o acabamento. Nada de deixar as paredes muito lisas e espelhadas! Missão cumprida, mais ou menos. Como esse cabeçote é apenas pra treino, fui até a lixa 120. No "de verdade" vou parar na 60. Se fosse cabeçote de  motor de carro com dutos longos eu pararia na 36. A mistura ar/combustível tende a se desomogeneizar (existe essa palavra?) quando as partículas mais pesadas encostam nas paredes lisas.

Já no duto de escape pode-se fazer qualquer coisa. Polimento espelhado é viável.

Existe uma relação entre o tamanho da válvula de admissão e a de escapamento e consequentemente seus respectivos dutos mas não lembro exatamente qual é. Acredito que o duto de escape que fiz hoje seja exagerado e não promova a necessária restrição relativa. O cabeçote definitivo terá 1 mm a menos de diâmetro no duto de escape mas manterá o perfil que "cavoquei" hoje, que me parece permitir bom fluxo.