sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

As Curvas da Estrada de Santos (e da Paula Toller)


Difícil eu comentar clipe. Mas... (favor escutar antes de ler)

Primeiro: esse arranjo não combina com a letra da música de jeito nenhum. Aliás, não sendo música caribenha, jazz ou fanfarra, cornetinha (vá lá, instrumento de sopro que não seja flauta doce ou transversal) não tem cabimento. Mesmo efeito que tocar Jailhouse Rock em baile de formatura.

Segundo: como é que uma pessoa aparentemente doce como a Frau Toller pode dirigir perigosamente na serra velha de Santos? Inda mais hoje que tem radar quase que até dentro de banheiro público. O máximo que se pode ganhar dirigindo "perigosamente" na serra velha hoje é um monte de multa por excesso de velocidade...

Terceiro: Quem é que em sã consciência vai entrar no carro de uma pessoa transtornada pra descer a serra velha? Com radar e tudo é extremamente desconfortável andar ao lado de um motorista descontrolado.

Quarto: a barra do vestido da Frau Toller tá esgarçada. Dá pra ver em 0:50, 1:10, 2:20, 2:53, 3:02, 3:18 e 3:46. Lado esquerdo.

P.S. Pra desencargo de consciência ouví um clipe do RC de 1969 pra checar o arranjo. Tem cornetinha também. Cornetinha e violino. Mas lembro que era moda na época. Certamente é culpa de algum produtor...