terça-feira, 4 de outubro de 2011

CG!

Cá está a rabeta, já em fibra, mas em estado bruto.

Colei uma escalinha no tanque pra vocês terem noção de dimensão. É só clicar na imagem e depois aumentar que dá pra ver. Tem 2 cm entre cada risco.

Não tem foto de todo o procedimento porque, claro, deu merda. Os componentes do poliuretano tem que ser misturados exatamente na mesma quantidade. Imagina se eu acertei todas as doses...

Por conta disso ele não curou como devia em algumas partes, não ficando duro o suficiente pra ser lixado com taco grande munido de lixa 36. Pra resolver isso eu cobrí o modelo com gesso, que por sua vez demorou muito pra curar também.

Mas conseguí deixar o modelo como eu queria que ficasse, pronto pra laminação. Oito camadas de manta e uma camada final de tecido de 60 gramas (bem fino e leve).

(quaaaaase que faço a camada final de fibra de carbono - tem aqui mas é pra outro projeto)

O modelo, claro, foi destruído. Preferi assim. O calor da cura da resina de poliéster acabou por secar o gesso. Ambos retraíram e quase que se fundiram. Resumindo, tirei a rabeta do modelo (ou, molde macho) na base da porrada.

Sempre confio nas peças de fibra que eu faço. Elas ficam resistentes. MESMO. A rabeta, apesar de não estar totalmente curada na hora em que arranquei o molde, não sofreu nada.

Agora continuo o trabalho de modelagem e refinamento nela mesma. Mais uns dois dias e tá perfeitamente ajustada ao quadro e pronta pra pintura em vermelho.

O tanque de gasolina, que foi restaurado e pintado de vermelho carena (muito bonito esse tom de vermelho), vai ser revestido com uma capa que o deixará uns 2 cm mais largo, uns 14 mais comprido e com rebaixos côncavos na lateral pra encaixar os joelhos.

De importante ainda falta comprar as pedaleiras de competição (tem um cara reproduzindo o modelo exato usado pela antiga Formula Honda 125 - já encomendei um par) e os semi-guidões. Isso tá sob controle, já. Assim que chegarem faço uma pré-montagem pra ajustar o desenho do tanque e a altura do assento.

Terminando a ciclística (quadro, suspensões, rodas, "ubicación" e ajuste geral das peças "grandes") começo a parte realmente legal, que vai ser a preparação do motorzinho com comando no bloco.

No meio do caminho pré-traçado vou me distraindo com a modificação dos freios (à lona, claro!) e decidindo se faço um paralamas dianteiro de fibra de vidro Yamaha TZ like ou se uso o da CG mesmo, que é bonito.