sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Zero grip

Filmete roubado do blog do Flavio Gomes (mas ele também surrupia filmes que eu sei).

Alá:


Mas o assunto é grip. O grip! Que é o que a gente procura quando tá pilotando. Onde é que tá o maldito grip.

Tem que enxergar bem pra achar o grip. E ter bundômetro calibrado, claro, além de bom cronômetro que marque trechos da pista, a volta completa, a melhor volta so far und so weiter. Só que achar a linha certa pra botar o carro (kart, moto) e ficar nela volta após volta não é assim tão intuitivo. Claro que quando a condição climática não muda, é até fácil. Mas e quando começa a chover durante a practice ou race? E quando começa a secar?

Sempre tive dificuldade com isso. Não sou dos primeiros a achar onde tá o grip quando muda radicalmente a condição. Depende de sorte, também. Da sorte de ter secado onde cê imaginou que ia secar na volta seguinte, depois de sei lá quantos carros (karts, motos) terem passado e ter ventado e sei lá mais o quê.

Se a gente anda um pouco abaixo do que pode para uma dada condição, toma ultrapassagem. Seguro que sim. E se anda acima do que pode, não completa a trajetória ideal podendo até estampar algum obstáculo.

Mas... e o video roubado?

Bom, foi só o mote pro post dispensável sobre a caça ao grip. Porque nessa condição não tem o que fazer a não ser se divertir. Dá pra ver que além do cara usar pneus de chuva, ainda estavam esculpidos pra ter mais tração na neve fofa. Mas nem isso adianta muito porque não tem onde se agarrar. Os pneus, quero dizer.

O melhor, do meu ponto de vista genérico, é fazer o traçado de seco mesmo e não exagerar no ângulo de deriva da traseira do carro (kart. Moto é chão se escorregar, pelo menos pra quem tem só duas bolas).